Maite Perroni quer oferecer um ponto de vista feminino no gênero urbano

Maite Perroni quer oferecer um ponto de vista feminino no gênero urbano

14/02/2018 0 Por Camila Cabral

Maite Perroni quer oferecer um ponto de vista feminino no gênero urbano, atualmente dominado por homens e cujas letras foram criticadas e descritas como discriminatórias ou misóginas.

A cantora conversou com a imprensa sobre a certificação que recebeu de sua gravadora pela venda da música em Loca e apresentou seu novo single em ‘Como Yo Te Quiero’ e comentou sua posição na música

“Eu acho que o importante é a mensagem que você dá, e tenho a oportunidade de oferecer um ponto de vista feminino dentro do gênero, não sou a favor do classismo ou de denigrir qualquer um, sou a favor da inclusão, a favor do amor e capacitação de mulheres e, se através da música, posso dar alguns minutos de alegria que me dá o ímpeto para avançar “.

Desde que começou como solista há quatro anos, Maite se aproximou da música latina, começando com a bachata, agora se aventura no reggaeton com Alexis e Fido.

“Isso me permitiu dar essa mudança ao urbano porque não é uma mudança tão radical e eu consegui fazê-lo com o pé direito “, disse ela.

‘Como Yo Te Quiero’ é o novo single está disponível nas  plataformas digitais, cujo vídeo estreou esta semana

“As coisas na música mudaram muito e decidimos optar por um single, agora nada dura tanto tempo, tudo é instantâneo, é por isso que trabalhamos dessa maneira com os últimos três singles para compartilhar com as pessoas, um por um, porque caso contrário, você tem 12 ou até 15 músicas em um álbum e a maioria fica guardao”, disse ela e respondeu que o álbum ainda não tem um título.

Maite não descarta trabalhar  com grandes figuras do gênero urbano que atualmente estão fazendo história na música, por enquanto ela prefere fazê-lo com as pessoas com quem ela se identifica.

Questionado sobre os 10 anos do grupo que a lançou à fama,  Maite preferiu se referir ao novo projeto de Pedro Damián, em um grupo de jovens multinacionais para as quais ele está lançando vários países, ela respondeu:

“há 10 anos terminou o grupo, em dezembro de 2008 foi o último show, acho muito importante que haja oportunidades para mais pessoas, para um grupo de jovens talentos que desejam fazer música, atuar e formar uma nova geração, não é uma comparação, nem destina-se a fazer o mesmo, ninguém pode fazer o que RBD fez”. 

Créditos: Site MaiPerroni & Site 24 (Nota/Entrevista)