Maite Perroni em entrevista para revista Open México

Maite Perroni em entrevista para revista Open México

03/10/2016 0 Por Camila Cabral

mp1

Maite Perroni é capa da revista Open México edição de Outubro, além um ensaio fotográfico exclusivo ela concedeu uma entrevista exclusiva onde fala de sua carreira e novos planos. Confira a nota completa traduzida por nós.

—> SCANS <—

—> PHOTOSHOOT <—

A fama a acompanhou desde seu primeiro projeto televisivo, com a telenovela Rebelde, que durou dois anos no ar e do qual nasceu o grupo RBD. Alcançou uma popularidade em dezenas de países que muito pouco tempo nunca havia imaginado. Quando RBD se separou em 2009, após seis álbuns em estúdio, Maite Perroni já havia pisado em centenas de palcos e conhecido personalidades de destaque como o ex-presidente brasileiro Lula da Silva. O último show foi no ‘Palacio de los Desportes’ em Madrid com a turnê “Adiós”.

A partir de então, a vida e carreira dos integrantes deu giros inesperados. Maite se converteu em uma das atrizes mais consagradas da Televisa. Em 2013 gravou seu primeiro disco Eclipse de Luna com selo da Warner Music e produção do chileno Koko Stambuk, quem trabalhou com artistas como Luis Fonsi e Reik. O primeiro single é uma mescla entre vallenato e bossa nova, alcançou mais de 18 milhões de reproduções no YouTube.

Entre as mudanças que vem acontecendo na TV aberta com a aparição das plataformas digitais, Maite soube se reinventar e não duvida que as transformações que enfrenta o meio, trarão como consequência melhores ofertas de entretenimento em onde ela seguirá jogando com um papel chave.

Pode nos contar quando começou a sonhar em ser atriz e cantora.

Nunca sonhei! Cresci sonhando com marketing, era uma carreira que me apaixonava, mas quando estava pronta a entrar na faculdade, acompanhei uma amiga para fazer um teste  para um programa da Disney Channel. E acabei fazendo o teste junto com ela.

Em este teste estive em um grupo com 500 garotas, logo ficaram 20 e em seguida 10, a seleção ficou em seis pessoas, em quatro, até que escolheram a ganhadora. A verdade que eu o fiz por diversão e aí descobri que havia uma possibilidade para mim. Na realidade quando terminei o teste me disse: “ Bom, vou me dar uma oportunidade de estudar atuação e descobrir se eu gosto ou não como uma carreira para o futuro”.

Comecei a pesquisar sobre o CEA da televisa e entrei. Quando me dei conta já havia passado vários anos e havia construído uma carreira que agora é minha grande paixão e o que eu mais gosto de fazer na vida. Mas na verdade nunca sonhei, nunca me imaginei sendo uma cantora ou atriz. Eu pensava que ia me dedicar a fazer comerciais ou campanhas de publicidade. Logo acabei fazendo algo diferente, mas dentro do mesmo.

No começo fez por diversão. O que aconteceu neste teste que fez pensar que a atuação poderia ser uma possibilidade na sua vida?

Me dei conta que tinha facilidade de fazê-lo. Me diverti muito, passou muito bem. Desfrutei do processo de criar algo, de construir personagens. Em neste teste me colocaram para dançar, cantar, atuar, contar histórias. Foi quando me dei conta de que queria que a atuação fizesse parte da minha vida. Eu neste dia estava brincando, me divertindo, eu tinha 18 anos, estava sendo bem legal, pois minha intenção não era ficar, então desfrutei muito.

Houve situações negativas que não esperava ter no decorrer da carreira?

Acho que nela, ou em qualquer outra, podemos encontrar com qualquer tipo de pessoas. Todos nós seres humanos temos as mesmas qualidades e os mesmo defeitos, mas cada um destaca mais um que outro. Não é questão do meio da música ou da atuação, é no geral e me parece que muitas vezes o ser humano utiliza sua energia de maneira negativa ao invé de usar para produzir coisas. Eu acho que não é só uma condição desta carreira, os seres humanos com nossas inseguranças podem afetar uns aos outros, não importa se é advogado, contador ou arquiteto. Afinal os que querem fazer o mal vão fazer o mal, e quem quer fazer o bem vai fazer o bem.

Topei com todo tipo de gente, tive a sorte de coincidir com que tem me ajudado na minha carreira, que me deram diferentes aprendizados, mas também com pessoas que não tem sido boas comigo, mas não guardo nenhum ressentimento. Estas histórias acontecem em qualquer profissão e o importante é qual a maneira que vive sua vida.

Algumas novelas que protagonizou foram exibidas em diversas nacionalidades. Qual país mais diferente do México que foi como parte de uma divulgação?

Angola. Foi uma experiência incrível. Foi uma viagem muito longa (40 horas) que organizou Carolina Palomo. Tive a oportunidade de estar em programas de televisão, de interpretar vários temas, de conhecer as pessoas. Foi uma grata surpresa chegar a um país tão longe e as pessoas me reconheceram. Fiquei surpreendida, porque na verdade não esperava.

É diferente a atenção que recebe do fãs estrangeiros e fãs mexicanos?

Não. Tenho tido a sorte que ao longo desse tempo fiz uma grande família. Todas as pessoas que creem em mim desde o começo da minha carreira, são parte de uma família, de um grupo, de uma equipe. Todos é parte do mesmo. Dessa maneira, hoje temos um fã clube que se chama Maite Perroni Go, que é a base onde nos reunirmos, nos encontramos e nos acompanhamos. E não importa de que país, religião, preferência, não importa o quão diferentes podemos chegar a ser, temos conquistado uma equipe que trabalha, que se querem, que se apoiam e onde estamos pendentes uns dos outros. Me sinto muito sortuda porque meus fãs no México são muitos solidários e amorosos Me acompanham por todos os lados, são muito presentes.

Recentemente, Televisa apresentou modificações em sua programação e inclusive mudou o nome de seu principal canal, logo a queda persistente no ibope. Até onde crê que se deve mover o conteúdo na televisão aberta mexicana na época das plataformas digitais para recuperar a importância que teve?

Acho que é muito importante entender que atualmente há várias possibilidades de comunicação. Longe de estar vendo isso como uma queda de uma empresa tão importante que ao longo de muitos anos tem gerado conteúdos, tem que ver como um renascimento, como uma replantação e uma reestruturação. Uma nova forma de fazer coisas em onde, definitivamente, haverá um ajuste a favor e se acomodar ao que o público está pedindo. Não será a primeira vez que tenham que enfrentar uma mudança e tão pouco a primeira vez em que se colocam dentro deste processo, onde evoluem como todos temos que fazer. Os produtores, os diretores, os escritores, todos estamos nesta dinâmica e não estamos sendo por esta mudança, mas também nos beneficia porque nos fará crescer, evoluir e dar um passo adiante para seguir dentro do mercado e com o que o público pede.

Crê os produtores da televisão aberta mexicana tenham ficado estagnados em outros tempos fazendo conteúdos para uma sociedade que já não é a mesma, que não tem os mesmos gostos?

Acho que se trata de uma evolução e uma transição necessária. Todos em diferentes momentos de nossas vidas temos que enfrentar isso. E em este momento estão vendo toda essa mudança. Acho que é importante que longe de ver negativamente, temos que olhar o positivo, porque estas mudanças fazem que sigamos aprendendo, que nós movamos de um lugar que nos faça seguir dando a nosso público o melhor que podemos. Tem que aplaudir que se está realizando esta mudança e que evidentemente gerá em um momento determinado, uma nova forma de fazer televisão. Aliás, não está acontecendo só no México. As plataformas digitais estão gerando esta evolução necessária. Tudo o que tem haver com a internet é o que está levando o bastão nos meios de comunicação. Então, todos temos que seguir adiante.

Tem sentido alguma vez discriminação por trabalhar na Televisa?

Nunca. No dia de hoje tem sido para mim uma base fundamental da minha carreira. Televisa tem me dado oportunidades que afortunadamente tem sido satisfatória tanto para eles como para mim. Tudo isso tem sido uma plataforma e um impulso que tem me aberto as portas em outros lugares, em outros países, em outras culturas. Em sites onde por meu trabalho e pelo que tenho feito tem tido a oportunidade para seguir crescendo. Falando por minha própria história, por meu próprio caminho com a empresa, não tenho que me queixar de nada pelo contrário, muito a agradecer pela plataforma que  tem sido para mim porque isso me tem permitido me aproximar de muitas oportunidades em minha carreira.

Até o momento se sente cômoda com o que tem feito o quer dar um giro em outros tipos de projetos?

Me sinto muito feliz. Vejo que agora tenho levado uma carreira em que, passo a passo, tenho construído uma história com um planejamento, com muitas entrega. Com uma equipe que crê em mim em o que desejei e que juntos temos trabalhado por ele.

Acho que durante doze anos de carreira se tem conquistado grandes coisas importantes. Isso não quer dizer que não tenho metas, novos sonhos, novas ideias, pelo contrário, estou num processo em que estou me preparando e comprometendo com minha música, com meu público para seguir crescendo junto com ele. Agora estou interessada em fazer outro tipo de projetos, gostaria muito em incursionar no cinema. Me encanta o movimento, me encanta seguir aprendendo, isso sempre me mantém ativa e pensante. Em outra parte é um processo que não termina nunca, é um que tem estado dia a dia em que comecei até a atualidade.

Hollywood te chama atenção?

Vamos ir passo a passo. Por agora, desejo fazer cinema mexicano, em meu idioma, com minha gente, com meu público, porque não tenho tido a oportunidade de trabalhar neste ambiente em meu país, e antes de ir a qualquer outro, gostaria começar aqui com as pessoas que tem me acompanhado em minha carreira, com a gente latina que é meu público.

Passou oitos desde que se separou o RBD. Como vê os giros que tem dado na vida pessoal e profissional de seus ex-companheiros de grupo?

Eu gosto de ver como passa o tempo e me dar conta de como hoje estamos felizes, fazendo o que gostamos, vivendo nossas vidas, conquistando nossos sonhos que compartilhamos há muito tempo.  Ver Alfonso Herrera conquistando tudo o que sempre sonhou me enche de orgulho totalmente. Me dá muito gosto ver ele com muito sucesso, triunfando, conquistando o que sempre desejou porque é um homem comprometido e trabalhador. Também me encanta ver Anahí com esta etapa de futura mamãe, desfrutando de sua família, dessa ilusão que tem tido também desde muito tempo. Ver Christian se reativando em sua carreira, fazendo o que te apaixona, com seu carisma, em esse novo projeto que estamos vendo no ar. Christopher  que está terminando uma nova etapa em sua carreira no cinema e televisão. E Dulce está com sua música, com suas viagens… O bonito disto é que compartilhamos uma etapa junto de quase cinco anos e me dá muita alegria ver eles, dar-me conta de que todos conquistamos o que queríamos.

Te sobra tempo pata ter uma vida pessoal igual exitosa é sua vida profissional?

É o mais importante. Eu acho que se não tivesse essa oportunidade de ter vida pessoal, não poderia ter a força e energia para sair e cumprir todos os planos que tenho. Assim que me sinto sortuda porque tenho no dia de hoje a sorte de estar rodeada de meus melhores amigos, rodeada da minha família, das pessoas que tem me protegido, amado e acompanhando.

Me encanta ver como posso ter a felicidade total rodeada das pessoas que amo, e ao mesmo tempo, seguir me realizando profissionalmente. É muito importante esse amor incondicional das pessoas que te ama porque de verdade, eles são os que te dão força para seguir adiante.

Créditos: Site MaiPerroni (Tradução) & MaiteMVP (Scans HQ)