Maite Perroni: Novo ritmo, nova vida!

Maite Perroni: Novo ritmo, nova vida!

24/09/2013 0 Por Camila Cabral

Maite25054401

A vida se trata de mudanças de experimentar coisas diferentes. E  Maite fez isso! Desta vez, ela apresenta seu novo álbum Eclipse de Luna, que é caracterizado por um sabor fresco e novo , como o que estávamos acostumados a ouvir nos terrenos do pop. Saiba todos os detalhes que recebemos desta nova estrela musical.

Glamour : Agora que você começou sua carreira como solista , Conte-nos como foi o desenvolvimento deste , o seu primeiro álbum ( emoção!) .

Maite : O processo foi muito gratificante, porque eu gostei do início ao fim (a parte mais difícil foi dar os últimos ajustes) . Eu me mudei para Nova York por cinco meses, em seguida, tive aulas de canto e eu estava focada em encontrar o tom de cada música , bem como remover os itens e colocar outro … depois de muito trabalho e esforço , conseguimos acrescentar as 14 músicas como parte deste projeto. Sério, já necessitava dar  vida e compartilhá-lo com os fãs. Estou animada .

G: Que coisas te deixou Nova York?

M: Foi uma experiência muito especial na minha vida, e eu tive um tempo para mim , para meus pensamentos e eu também tinha um espaço onde assimilar todas as mudanças . Foi a melhor escolha para iniciar uma nova fase na minha carreira.

G: Foi difícil não estar em um grupo ?

M: Agora é só sua voz , que enfrenta o mundo . Eu sei que eu tenho pouca experiência com isso, mas sou muito sincera, não me há  gerado nenhum conflito, mas, pelo contrário , eu tento ficar feliz por ele ao máximo. Faça o que fizer , você tem que enriquecer a sua vida com coisas novas, começar a fechar ciclos e abrir novos. Se você vê-lo a partir dessa perspectiva , se sente mais leve.

G: Podemos dizer que você já não se sente nervosa ?

M: Ah, não, aqueles definitivamente nunca vão embora. Eles são parte de tudo! Estão quando compartilhamos emoções e sentimentos na música , são coisas que são tão vivas que você não pode mantê-las sob controle absoluto … Eu acho, talvez eu esteja errada! Mas o dia em que você parar de se sentir nervosa , ou para de se importar , ou já não sente aquelas borboletas no estômago , aí então vou me preocupar , porque então já não terá sentido dizer algo.

G: E nesta produção, você teve a oportunidade de trabalhar como compositora ?

M: Não exatamente . Há temas de compositores que eu respeito muito e que me permitiu dar voz às suas palavras. Tenho músicas de Carlos Lara, Angela Davalos e uma de Aaron Martinez, que é muito interessante , porque ele compõe música norteña e pela primeira vez  escreveu algo do gênero que interpreto, que é o pop latino . Eu adorei o que ele fez  e foi um prazer trabalhar com ele . Tive a sorte de ter o talento e a experiência dos que sabem que estão fazendo . Não tenho a pretensão de querer dominar o mundo fazendo absolutamente tudo, é a primeira vez que faço algo assim. O que eu posso dizer com orgulho que é que eu estava presente em todo o processo criativo, mais com o single ‘ Tú y Yo’ é onde eu tive uma colaboração mais de perto e participei na composição , mas por agora é a única no disco .

G: Com que humor tem que escutá-lo?

M: Se você ouvir com muita atenção há canção para todos. De amor , desamor, ilusão, separação, traição … contam histórias diferentes , mas o foco é o ritmo pop latino . Há bachata , baladas, vallenato , uma música com uma orquestra e até violoncelo, violino e piano. Muitos sons misturados , tudo a fim de trazer vida e alegria. Eu acho que ele vai fazer dançar  quem o ouvir . Ou , pelo menos, mover sua cabeça !

G: Você tem evoluído muito desde a primeira vez que te vimos em frente as câmeras …

M: Creio que devo ser grata por ter tido a sorte de me desenvolver no que eu amo. Às vezes você não sabe o que fazer e você fica parado, ter me identificado e ter sucesso nisso é um presente muito precioso. É um processo profissional e pessoal, porque você tem todos os tipos de experiências que melhoram a si mesmo. Eu tenho uma realidade mais clara do que quando eu era jovem . Isso é importante , porque eu era uma garota que cresceu no meio. Passei pelo  primário, secundário, e o preparatório, eu tive  minha viagem de geração , meu primeiro namorado … tudo normal. Quando entrei na faculdade , decidi aproveitar a oportunidade para descobrir a atuação, mas isso foi ao 19 anos! É difícil começar do zero nessa idade, especialmente nesta indústria.

G: Foi difícil separar o público e o privado ?

M: Não, porque na minha vida diária não é para mim estar na frente das câmeras o tempo todo. Separei absolutamente  o meu tempo e espaço da minha carreira, e assim tudo o que saberão abertamente  será só minhas conquistas, nada mais.

G: Uma última mensagem para nossos leitores.

M: Obrigado por ler, ouvir minha música e permitir que nos una. E eu quero saber o que pensam do álbum. A melhor opinião é a de vocês!

Créditos: MaiPerroni.org (Tradução e Adaptação) Fonte: Glamour.com