Maite Perroni em entrevista exclusiva para a L’Officiel Brasil

Entrevistas Notícias

Amante da música e das artes, aos 37 anos a atriz e cantora Maite Perroni já tem muita história para contar. Nascida na Cidade do México, em 1983, ela é uma pisciana nata, daquelas que encantam logo no primeiro momento. Desde criança no meio artístico, começou sua carreira bem cedo fazendo comerciais e participações em programas infantis. Seu primeiro papel na televisão foi em 2004, na trama adolescente de sucesso Rebelde – interpretando a doce Lupita. Da ficção para o mundo real, Maite foi uma das 6 vozes que deram vida à banda RBD – encerrada em 2008.

De lá para cá ela nunca mais parou e foi protagonista de grandes produções mexicanas, como Cuidado con el Ángel, Mi Pecado, Triunfo del Amor e Mujeres Asesinas, sendo nomeada como a rainha das telenovelas por uma rede de televisão norte-americana. Focando outra vez na música, em 2013 lançou seu primeiro disco como solista ‘Eclipse de Luna’ – embalado por faixas animadas com pitadas do bom e velho romance latino.

Apesar de seu talento vocal inegável, ela não esconde que sua verdadeira paixão é atuar. Assim, de volta para as telinhas, Maite é a nova estrela dos streamings, dando vida à personagens marcantes, como a advogada e professora universitária Alma Solares, em Desejo Sombrio, na Netflix, e Adriana Romero, em El Juego de Las Llaves, na Amazon Prime Video.

Com uma trajetória repleta de experiências inesquecíveis, ela compartilha com a L’Officiel Brasil a emoção de estar com seus amigos e ex-companheiros de banda no mesmo palco após 12 anos e fala sobre seus projetos futuros. Confira!

Qual foi seu maior desafio como latina no mundo do cinema e como se sente sendo protagonista de uma das séries mais populares da Netflix – e totalmente em espanhol?


”Foi uma grande surpresa ver tudo o que aconteceu com “Desejo Sombrio” a nível mundial, fomos uma das 10 séries mais vistas na plataforma em 2020 e ficamos no Top 5 das mais pesquisadas no Google. Realmente incrível! Foi um grande desafio para mim fazer parte desta história e dar vida a Alma Solares; Ela é uma mulher muito diferente das que tive o prazer de interpretar. Por outro lado, também somos semelhantes e nos ligamos a certas emoções como o fato de querer apoiar as pessoas mais vulneráveis ou que sofreram determinada violência. Graças a todo o apoio do povo, a segunda temporada foi confirmada! Estamos muito animados, são personagens que ainda têm muito a contar. Fazer parte desse tipo de história tem representado um grande desafio profissional; Muitas vezes na vida você tem que nadar contra a corrente, mergulhar, se aventurar em novas experiências e aprender ao longo do caminho. Hoje posso olhar para trás e sentir que valeu muito a pena trabalhar e apostar em diversos projetos”

Cada personagem que você interpreta se molda em um estilo diferente e parece ter uma paleta de cores específica. A Adriana de El juego de Las Llaves usa muito tons de rosa; Cristina de Doblemente Embarazada usa muito amarelo e a Alma de Desejo Sombrio mantém tons de cinza e bege. Qual seria a paleta de cor da Maite?

”Seria preto [hahahaha] Eu tenho um monte de jaquetas pretas, blusas pretas, calças pretas ou jeans… Eu adoro!”

Você assiste suas produções? É muito crítica consigo mesma? Se pudesse, você mudaria algo na sua trajetória artística?

”Pode soar muito clichê, mas eu não mudaria nada em minha vida pessoal ou profissional, porque cada passo que dei me trouxe até onde estou hoje, aprendendo muitas lições. A vida é isso, dar o mergulho, aventurar-se em novas experiências, colocar a alma e o coração no que faz e descobrir o que acontece… E é preciso mudar de rumo.”

Em 2019 você declarou que se afastaria da carreira musical para focar na atuação. A live do RBD é uma experiência momentânea ou despertou o desejo de voltar para a música definitivamente?

”A música sempre fez parte da minha história e tive a oportunidade de realizar muitos sonhos, tanto na atuação quanto na música, o que acabou de acontecer com o RBD foi uma homenagem a toda aquela geração que ainda é tão forte quanto no começo e que ao longo desses anos esteve presente e fez com que o RBD continuasse a existir em seus corações. Queríamos dar a nós mesmos um momento único e irrepetível para compartilhar com todos e assim foi. Mas a música sempre fez e sempre fará parte da minha vida!”

Sobre a live, qual a sensação de subir em um palco novamente com pessoas que fizeram parte do início da sua trajetória? Como está sendo reviver essa parte tão importante da sua carreira? Depois de tantos anos ainda sente frio na barriga?

”Eu ainda sinto aquela empolgação e nervosismo como no primeiro dia. Eu realmente digo a você que nunca pensei que este momento nunca fosse acontecer de novo, estarmos juntos no palco cantando essas canções que mudaram nossas vidas. Tudo aconteceu de uma maneira tão bela que não havia como dizer não; Todos nós nos conectamos com a ideia de poder fazer essa homenagem, nos adaptando ao trabalho em circunstâncias tão diferentes, realizando reuniões de zoom, ensaiando as coreografias separadamente, enfim, foram muitos os desafios que aceitamos porque queríamos fazer acontecer. Nos esforçamos muito para apresentar um show incrível e ficamos muito honrados com o amor com que o público recebeu este momento. Foi inesquecível.”

O tributo do RBD levantou muitas polêmicas sobre uma possível turnê. Ainda que a reunião seja uma homenagem aos fãs, existe alguma possibilidade de um novo projeto com vocês juntos? Isso é uma ideia muito fora da realidade?

”Hoje, neste momento te digo que não é uma realidade; a única intenção era compartilhar uma tarde-noite com os fãs através de streaming, um show cheio de saudades e celebração da música do RBD.”

Além do amadurecimento vocal e pessoal, como você vê a Maite do RBD de hoje em relação à Maite dos anos em que a banda estava ativa?

”Em essência, ainda sou a mesma e, felizmente, a vida continua a me dar o poder de fazer o que eu mais amo. Obviamente, há uma maturidade vocal, tenho feito aulas de canto com meu querido treinador Anibal Murat há alguns anos, mas em essência continuo o mesmo e esses nervos e emoções ainda estão presentes.”

Escreveria um livro? Autobiográfico ou ficção?

”Nunca pensei nisso!”

Alguma vez já pensou em desistir da carreira? Como lida com as críticas? O que te impulsiona a continuar em dias difíceis e superar desmotivação?

”No começo quando eu estava estudando teve um momento que me falaram que eu era a rainha dos castings porque eu ia em todos eles e não sobrou nenhum [hahaha]; o último casting que ia fazer era para “Rebelde” e tinha decidido que se não ficasse no projeto iria para a universidade.

É uma carreira muito bonita, os projetos em que participei deixaram minha imagem exposta a milhões de pessoas; Com o passar dos anos, entendi que sempre haverá pessoas que criticam quem elas pensam que eu sou.
Minha família é, sem dúvida, minha maior motivação, meu centro, meu foco, onde tudo começa, com quem gosto de estar, quem me pousa quando em algum momento ergo os pés do chão, que me ensina o verdadeiro valor da vida, o que é real; eles têm sido uma peça fundamental na minha formação.”

Como foi 2020 para você em questões profissionais? A pandemia dificultou muito seus planos? Qual aprendizado você tira deste ano?

 

”Aprendi a me preocupar menos e a curtir mais o presente, a viver mais no presente, que é a única coisa de que temos certeza, aprendi a fazer pausas, a deixar as coisas seguirem seu curso. Este ano foi repleto de desafios para todos; houve projetos que tiveram que ser pausados e retomados quando apropriado e seguro para todos, como a filmagem da segunda temporada de “O Jogo das Chaves”. Para este projeto tivemos que nos isolar em um local por 2 meses, tanto a equipe quanto os atores, e quase diariamente eles fizeram o cobiçado teste para ter certeza de que estávamos bem e que corríamos o menor risco possível; Foi um método de trabalho diferente mas necessário pelas condições em que o mundo está passando, o melhor que podemos fazer hoje é cuidar de nós mesmos, pois assim estaremos cuidando também de quem está ao nosso redor. No meio da pandemia aconteceu a estreia de “Desejo Sombrio”, onde já tínhamos várias atividades planejadas, mas tiivemos que mudar todo o plano de promoção e fazê-lo através chamadas de vídeo. São coisas que ninguém planejou, mas que temos que continuar a nos proteger.”

Pode falar algo sobre projetos futuros? Há algo em planejamento, que não seja a segunda temporada de El juego de Las Llaves e Desejo Sombrio?

”Para 2021 teremos as segundas temporadas de “Jogo das chaves” e “Desejo Sombrio”, bem como 2 outros projetos que me deixam tão animada! Irei compartilhá-los quando puder, mas serão projetos para o segundo semestre do ano. Continuamos trabalhando com muito entusiasmo, muito a fazer, gratos por ter projetos que continuam a me encher de grande entusiasmo.”

Por último, mas não menos importante, ela deixa um recado para os fãs brasileiros: ”Amo o Brasil! Obrigada por nos acompanharem na live Ser o Parecer no dia 26 de Dezembro. Foi um show lindo e foi ótimo estar com meus companheiros novamente e todos nossos fãs ao redor do mundo. Obrigada por todo amor!”

Créditos: L’Officiel Brasil

 

Camila Cabral

Uma menina/mulher um pouco com grandes sonhos, com amor imenso pela Maite. Uma de minhas paixões dedicar um pouco do meu tempo ao MaiPerroni.

http://www.maiperroni.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *