Maite Perroni em entrevista para Explore

Destaques Notícias

MATE04
Maite Perroni
é o resultado de um fenômeno cultural chamado RBD, grupo musical que agitou a juventude da América Latina de 2004 a 2008. Junto com seus companheiros de chapa (Dulce María, Christopher Uckermann, Christian Chávez, Alfonso Herrera e Anahi Puente) Maite vendeu 17 milhões de downloads digitais de sua música e 20 milhões de registros. Além de seu sucesso na telenovela Rebelde, que foi distribuído para cerca de 65 países.

Como RBD foi dissolvido, todos os seus companheiros foram liberados como cantores solos, mas ela preferiu se concentrar em fazer novelas. Ela também teve tempo para o amor, em seguida, entrou em um relacionamento com o cantor Mane de la Parra, que muitos estavam apostando iria acabar em casamento. No entanto, apenas algumas horas antes de nossa entrevista, o casal anunciou o fim do namoro. A notícia causou tanto rebuliço que pensamos que a nossa conversa seria cancelada. Longe disso, a estrela de telenovelas Rebelde e Cachito de Cielo, telefonou-nos do México e foi muito jovial e otimista durante a nossa conversa.

Qual é a diferença entre Maite Perroni, que deu volta para a América Latina com RBD ea que conversa comigo agora?

Em essência, eu ainda sou a mesma pessoa, com vontade de trabalhar e de estar perto de uma família que ama, mas também com experiências que me permitiram crescer. Há sofrimentos (como quando eu descobri que a minha mãe teve câncer), as decepções que eu não falo, porque houve muitas alegrias. Tudo isso contribuiu para me plantar agora sozinha no palco para cantar a partir de um lugar onde eu possa sentir melhor e me identificarcom o meu público.

Entre os membros do RBD, Foi a única a não lançar álbum solo, a sair do grupoi foi você? Porque?

Acho que as coisas foram acontecendo na hora certa. Quando eu saí do RBD, queria construir uma carreira independente do que o RBD havia me representado  . Estes quatro anos eu tive quatro [papéis], estrelados  que me permitiu me conhecer melhor e explorar o que eu queria propor pessoalmente a música.

Qual foi a conclusão? Que tipo de música você quer focar?

Aposto cantando canções que têm algo a dizer, como a era da década de oitenta, quando cantores como Yuri, José José ou Pandora nos comoviam o que cantavam . Meu som não é como os anos oitenta, mas quero que minhas letras comuniquem algo. Meu objetivo é que quando as pessoas me ouvir no rádio dizer: “Ah! Isso é Maite “, mas realmente animado com o que ouvem. E se, no final, eles descobrem que fui eu quem trouxe a mensage. Que bom!

Por agora estou concentrado em tomar aulas de canto, dança, e espero que antes do Verão o meu álbum com a Warner Music e esteja com os meus fãs.

Muitos desses fãs estão com você desde a época de RBD. Como era a vida em um grupo de jovens?

Muito divertido, tinha um monte de energia ao redor, muitas histórias diferentes e personalidades diferentes, mas isso faz parte da aventura. RBD foi algo tão bonito que, se voltaria a ter 20 anos queria viver da mesma maneira.

O que se perde na estrada?

Eu odeio ver o que está perdido, pois há muito a ser adquirida. Verdade, um perde a família, mas depois fomos naquela idade em que se pode aproveitar nosso tempo, das coisas novas que vivemos. Você pode imaginar? Nossa única responsabilidade era voltar subir aos palcos

Qual foi o momento mais difícil com RBD?

Foi em 2006, quando faleceram três fãs no Brasil. Estávamos em um shopping com milhares de fãs e caiu de uma cerca de segurança. Para todos nós foi um passo muito triste porque a nossa intenção era trazer alegria e amor para as pessoas. Nós não entendemos como algo tão bonito terminou em algo tão triste. Isso marcou-nos muito.

Até agora mais te completa?

Felizmente é uma decisão difícil escolher apenas um, porque com RBD teve muitos momentos bons, como o primeiro show fora do México. Foi na Colômbia, e pela primeira vez, percebemos a dimensão que tinha tomado o grupo. Naquele show em Bogotá havia 54.000 pessoas esperando por nós. Ele foi o primeiro país que fomos e nos receberam assim! Nisso começou a chover e ninguém se foi. Tanto, fãs como nós, estavam encharcados, mas cantamos juntos até o fim. Ali meu caiu que não podia viver sem cantar .

Então por que você se concentrou em atuar?

Era apenas o momento certo para encontrar o meu compasso musical. Além disso, meu primeiro amor estava atuando, na verdade, quando eu fui para RBD pensando em minha carreira como atriz, não como cantora. Então, eu achei que os palcos são viciantes.

E novelas, o que  mais surpreendeu você?

Ver diversidade pública que elas têm. Quando eu estava em fãs rebeldes eram crianças e jovens emMi pecado, senhoras, e Triunfo Del Amor, senhores! As pessoas iriam se surpreender ao descobrir quantos homens ou meninos que assistem novelas, e como eles são fiéis! Recentemente um jovem me enviou uma exibição Twitter que tatuado em seu braço a frase “Maite todo o meu amor”. Fiquei muito chocada ao ver o que ele sente e o que pode fazer um fã.

Você também é vista em algumas campanhas. Como você vê esse aspecto da sua carreira?

Com muita responsabilidade. Então, enquanto eu recebo muitas ofertas de produtos para torná-lo parte de suas campanhas, escolher apenas aqueles que estão de acordo com o meu estilo de vida: os produtos que eu uso no meu cabelo, eu gosto de sorvete e, especialmente, aqueles que sensibilizam câncer de mama. Eu estou sempre a perguntar as mulheres a fazer mensalmente o auto-exame. A poucos minutos de um mês pode salvar suas vidas. Minha mãe descobriu a tempo e por isso estamos juntos.

Em Março vai completar 30. Como é a vida nessa idade?

Incrível. Eu estou em um momento muito produtivo, muito consciente de mim mesmo. Eu me sinto plena. Felizmente eu estou cercada por pessoas que eu amo, trabalho, vida, e de um ponto a partir do qual a ver um completo, um mundo inteiro de possibilidades maravilhosas.

O que esta perspectiva, é o papel do amor de novo?

Eu estou feliz. O amor não é algo que me preocupa, nem casamento. Para mim o importante é ser coerente com minha vida. Sim, eu gostaria de construir uma casa um dia, mas por enquanto eu prefiro viver cada dia e me concentrar no momento presente. Eu não sei o que vai acontecer amanhã. Até o momento eu me dedico a continuar a viver  o hoje.

Todas as fotos dos Scans da revista está em nossa galeria para vê-las basta clicar AQUI

Créditos MP (tradução e adaptação) Fonte: Explore

Camila Cabral

Uma menina/mulher um pouco com grandes sonhos, com amor imenso pela Maite. Uma de minhas paixões dedicar um pouco do meu tempo ao MaiPerroni.

http://www.maiperroni.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *