Uma carreira de altos e baixos para Maite Perroni. Quando o RBD estava em seus últimos dias, muitos se perguntavam quais carreiras seguiriam principalmente as mulheres, Dulce Maria e Anahi. Ambos já tinham um caminho percorrido em novelas e sucesso na música achava que seu futuro seria brilhante em qualquer campo artístico em que decidir fazer. Mas nenhumas das duas conseguiram consolidar sua carreira solo.

A que desligou sua imagem do grupo e se tornou a nova sensação TV, foi essa menina quieta discreta e regularmente era a segunda ou terceira voz das canções do grupo: Maite Perroni.

A atriz está atualmente estrelando com Pedro Fernandez “Cachito de Cielo”, comédia com toques de melodrama que é um sucesso na programação do Canal de las Estrellas. Não é nenhuma surpresa. E não é a primeira produção de sucesso que leva Perroni, que na história é “Renata”. Antes brilhou em “Cuidado Con El Angel”, em seguida, para “Mi Pecado ” e “Triunfo Del Amor”.

A força que ela demonstrou ao longo de cada projeto e do comportamento exemplar da Maite dentro e fora dos foros de gravação, foi isso que fez torna-la a nova rainha das novelas no México. Ela apenas sorri e se concentra no  futuro. “Estou muito feliz, diz a atriz em entrevista por telefone com este meio, porque este era um projeto que as pessoas aceitaram de uma maneira muito boa, e isso é o mais importante.”

Se algo ficou a Maite sua experiência em RBD, é que um projeto só funciona se o trabalho em equipe é sólida, e ela admite que esta é uma das principais qualidades de “Cachito de Cielo” “Estamos convencidos de que o romance é um projeto diferente do que tínhamos feito antes, o que nos permite fazer algo incomum para os melodramas que todos nós conhecemos.”

– Você achou mais fácil entrar no tom necessário de comédia depois de fazer dois melodramas  mais “tradicional”?

“É sempre um desafio para encontrar a média entre estes dois pontos, entre o drama e a comédia. Em “Cachito …” há personagens que trilhamo caminho cómico, e há outros tem partes que é “real”, como “difícil”. Mas enquanto eu não estaria fora de sintonia do projeto. Então, eu tentei reforçar certos pontos no caminho para o comportamento do meu personagem, “Renata”.

– Como você se adapta ao gênero?

-Eu descobri que o meu gesto era o que me permitiu acompanhar de certa forma, tanto a comédia e o drama, mas acima de tudo, é importante compreender “Renata” para dar as cores corretas.

Meu personagem tem uma carga dramática enorme, perdeu o namorado a tira colo, e pouco a pouco está prestes a entrar em uma dinâmica mais rápida. Então, eu estou focando a fazer sentidoa isso, para praticar as minhas reações olho, e olhares. Ela tem tantas situações engraçadas, mas uma história com várias nuances.

“Já tem tres protagônicos em novelas , como é se reinventar a cada projeto, e não cair em uma repetição?

Não é fácil. Meu rosto é o mesmo, meu corpo é o mesmo, que será para sempre. Eu tenho que ir encontrar as características do personagem, o que detona sua maneira de ser. Eu acho que eu tenho vindo a fazer, espero que o público pensa assim, porque essa é a minha intenção no final.

– E o que faz ser única sua personagem “Renata”?

– (Ele faz uma pausa antes de responder) Renata é uma pessoa que faz parte de um espaço social que outros personagem meus não tiveram . É uma menina mimada que tem tudo, que tem uma proteção absoluta de seus pais, e a maior perda que já enfrentou foi a perda do amor de sua vida, mas isso lhe dá muita segurança, ter um como base familiar forte, aparentemente. Você vai ver que nem tudo é como parece (risos).

– As “Mulheres de atitudes ” são os que enchem o olho para escolher um melodrama?

-Olha (risos). A “Renata” Eu defini-la como uma mulher determinada que é movido por suas próprias convicções. Isso é diferente de outros personagens, como “Marichuy” de “Cuidado Con El Angel”, que era uma garota do bairro, que falou diferente, mudou-se de uma maneira especial, foi irreverente, sem limites. Eu diria que era um coração andando.

“Lucrecia” “MiPecado ” era outra coisa. Ela era muito decisiva, era uma mulher com uma família muito bem fora economicamente, sem o apoio de sua mãe que a odiava, era sua pior inimiga.

-Você quer dizer “nós” ao definir o sucesso de “Cachito …”, sempre esteve claro que o sucesso de qualquer projeto passa por trabalho em equipe?

-Sim. Nós todos estavamos dispostos a fazer uma equipa. Sabemos que é um trabalho onde todos nós temos de empurrar em uma direção, nós somos um grupo de diversas situações e emoções.

Quando entendemos isso, o romance, o nosso trabalho é o benefício de todos, vamos todos para o mesmo objetivo, as coisas se movem de forma diferente. Eu me sintofeliz  por trabalhar com esta equipe.

-Depois de ler o roteiro de “Cachito”  você pensou que seria um sucesso?

-Não. O projeto era uma moeda, e temos o prazer de trabalhar como nós sonhamos, que tudo corra da maneira certa. Isso é uma motivação enorme para continuar trabalhando, especialmente porque as pessoas à feito sua história.

 
Créditos: MP (tradução e adaptação)/ Fonte: Informador.com.mx

Maite Perroni em entrevista para Informador.Mx
Classificado como:    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *