mp

A partir do video de seu tema Tú y Yo, em que Maite aparece em um edifício abandonado de Nova York dançando sensualmente bachata deixou ver que em esta nova faceta como cantora solo deseja mostrar uma mulher que está disposta a conquistar qualquer coisa. A bela cantora além de dar detalhes de seu disco titulado ‘Eclipse de Luna’ também nos permitiu saber mais da sua vida.

Maite o que te impulsionou a voltar para a música?

Esta inquietude não foi de repente, na realidade é que este processo de fazer um disco solo levou aproximadamente dois anos, e que sucedeu era que nunca disse nada porque queria que tudo estivesse confirmado. Quando terminei a novela ‘Cachito de Cielo’ foi quando comecei a falar deste assunto, porque já estava tudo pronto pra eu ir gravar o disco e então foi quando disse que iria iniciar a carreira solo.

Para fazer isso teve que viver em Nova York?

Sim estive lá por cinco meses porque em Nova York foi feita a gravação de ‘Eclipse de Luna’ meu disco, mas os primeiros três meses estive tendo aulas, porque de alguma maneira era voltar a começar, porque todo este tempo estive diretamente só na atuação, então eu tive que treinar a voz, ensaiar as coreografias  porque este disco implica para mim um grande compromisso com o público.

Como você escolhe seu conceito do disco solo? Eu acho que eu queria desligar -se de tudo o que tinha a ver com RBD.

Eu decidi que eu queria um conceito que era consistente com a minha maneira de pensar e de ser. Eu gosto de escutar todo tipo de música e quando estive no RBD os temas, as coreografias, os estilos era de acordo com a idade que tínhamos, aliás que havia uma história fictícia atrás de tudo isso, que era uma telenovela, assim que para esta etapa não é que queria me desligar por completo do RBD, porque foi uma etapa muito bonita na minha vida, mas passou alguns anos desde que acabou o grupo, assim quis buscar meu próprio estilo e queria me sentir bem nos palcos e como gosto de cantar, dançar me divertir e me conectar com o público. Foi por isso que pensei em fazer um disco do gênero pop latino, e quero dizer que mesmo que o primeiro sigle do disco seja bachata, não é todo disco que é só desse gênero.

Que outros gêneros se encontram neste disco?

Há um canção que muito dance, que se pode dançar em clubes, também há baladas, vallenato e pop todas são de raízes latinas e o que muitos estão escutando no momento.

Foi fácil voltar a música? Suponho que choveram propostas.

Pois não. Eu fui bater nas portas de gravadoras porque quando acabou o RBD, eu disse que ia focar em fazer novelas, e creio que por isso pensavam que nunca ia voltar a música, então fui às gravadoras com uma canção que Carlos Lara fez para mim (compositor de musicas de Flans, Ricky Martin e Magneto) uma canção que se chama Como Yo e desta maneira cheguei a Warner Music e quando escutaram a canção gostaram da proposta que era um pop latino e assim começamos juntos a planejar e a trabalhar sobre o que seria minha volta a música como cantora solo.

Sua intenção nunca foi sair por completo da música?

Não. Porque mesmo estando na atuação me encontrava me preparando para este disco, eu estava atuando trabalhando na minhas telenovelas, mas a música sempre foi parte da minha vida, assim  que agora ver esse disco como cantora solo e ver materializado é um sonho para mim.

Sobre que temas fala suas canções?

É um disco que fala de amor, desamor, infidelidade. Todas as canções que estão nesse disco tem algo a dizer, são temas que muitas pessoas podem se identificar todos temos amado ou sofrido por amor alguma vez em nossas vidas.

Há alguma canção que há se identificado ou tenha dedicatória?

Todos os temas são muitos especiais para mim, mas há dois temas que para ser sincera não tem nada haver com este momento da minha vida, mas todas as canções me lembram de alguma experiência que já tive. Isso esta muito bom, porque no final quando as pessoas escutarem as canções estou segura que vão encontrar uma canção favorita.

Qual o tema mais Lupita D’Alessio, me refiro qual o tema que nos vai fazer chorar?

Como Yo, porque é uma canção forte, porque fala de uma infidelidade, é quando se dá conta que ele deixou de sentir o amor que tinha por você, fala de traição e de tudo o que sente por perder o amor de sua vida.  Por isso creio que este tema quem vai gostar são as chavitas (Fas do Padre Chava de Cachito de Cielo) mas também as mãe das chavitas, tem essa possibilidade de diferentes gerações gostarem.

Você compõe?

Na verdade quando resolvo a compor me encontro muito intensa. Então tenho que aprender a estruturar bem as idéias e os linhamentos que deve ter uma canção, mas nesse caso dava algumas idéias do que queria dizer e os produtores dos discos, que são espertos, iam me guiando e segurando na mão com alguns temas.

Sobre a imagem que mostra nesse disco, estamos conhecendo uma Maite muito mais sensual…

As pessoas acreditam que sou uma pessoa muito terna e na realidade nem sempre sou assim, O que acontece é que as pessoas conheceu a Maite através dos personagens que interpretei nas telenovelas que são muito meninas, sinceras, boas e generosas, porque as protagonistas sempre tem essa doçura e essa parte de serem virgens e puras, assim as pessoas pensam que sou parecida com minhas personagens, sem dúvida, me considero uma mulher muito normal, que tem sensibilidade, mas também tem força, caráter, amor e desejo porque também na vida tive tristezas e desafios.

Então esse disco irá mostrar sua verdadeira personalidade?

Sim, o que vão poder ver é uma Maite desde um ponto de vista mais transparente, porque sou eu que vou cantar e contar uma história e não um personagem.

Teve algum medo de esta etapa como solista? Porque há cantores que fizeram parte de grupos de muito sucesso e quando se converteram em solistas, não se saíram muito bem.

Mais que medo era nervoso. Sou da idéia que tenho que me arriscar a viver esta nova aventura. Tudo pode acontecer, pode ser que esse disco seja um sucesso ou aconteça nada, mas tem que se dar conta que tens que se arriscar. Estou desfrutando de tudo isso e em algumas ocasiões penso que é piada, mas logo creio que é real. Porque se nada acontecer, será muito, porque até onde cheguei como cantora eu sei que coloquei toda minha alma, coração e forças para que aconteçam só coisas boas.

Está de volta a agitação das turnês e dos shows…

Sim, sentia saudades. Com RBD tive a oportunidade de viajar muito, mas já tinha quatro anos que estava nos estúdios de televisão (gravando novelas) e agora voltar a isso para mim é como dar frescura a minha carreira e vida, já sei de que se trata isso e estou encantada de voltar as turnês e poder esta perto das pessoas nos shows.

Seus companheiros de RBD te fizeram algum comentário agora que se lança como solista?

Sim, Anahi e Christian (Chavez) foram incríveis, porque retuitaram minha canção e me mandaram mensagens de muito carinho.

Sentimentalmente como se encontra? Tem namorado?

Não, neste momento me encontro apaixonadíssima desse projeto, estou muito emocionada com este disco assim só estou focada no trabalho, mas se por ai aparecer alguém que eu possa compartilhar essas coisas boas que estão acontecendo, ficarei encantada.

Como gosta que te conquistem?

Creio que seja muito fácil, como toda mulher, que me tratem bem , de dêem carinho, atenção e seja compreensivo e agüentem o ritmo, que agora vou ter uma vida muito ocupada com muitas viagens e apresentações, é complicado ter uma relação formal.

Deixou a atuação?

Gosto de viver o presente e não penso em planejar muitas coisas, no momento vou me dedicar neste disco se puder combinar com algum trabalho de atuação não terei problema. Eu creio que é importante nutrir as duas facetas na minha carreira.

Todos Scans dessa entrevista está em nossa galeria —> AQUI <—

Créditos: MaiPerroni.org (Tradução e Adaptação) Fonte: Excelsior Teve

(Scans/Nota) Maite Perroni evolui com Eclipse de Luna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *