Maite Perroni em entrevista para El Universal

Em 2004 o mundo a conheceu como Lupita na novela teen Rebelde e depois como integrante do grupo musical que saiu desse projeto, RBD. Maite Perroni é uma mulher arriscada e destemida, características que, segundo ela, a fizeram desfrutar de uma carreira de atriz e não ter medo quando o grupo se separou.

“Sou de viver o momento e fechar ciclos. Quando Rebelde terminou, depois de cinco anos, para muitos dos meus colegas foi um processo muito difícil recomeçar e ver o que eles fariam. Eu já estava em outras coisas, estava em outros projetos, com planos de novela. Para mim hoje Rebelde e RBD serão o amor dos meus amores, um projeto que significou muitas oportunidades, mas não me apeguei a isso. Eu estava vivendo meu presente. Acabou o RBD, abracei ele, agradeci e até hoje faço, mas fui construir minha história. Não tive tempo para ficar triste.”

Esses riscos fizeram com que Perroni se tornasse uma das protagonistas favoritas da Televisa por mais de uma década e com isso sua popularidade se manteve. Então, em 2019, a atriz assumiu novos riscos: primeiro, deixando a Televisa, já que trabalhava lá há 15 anos, e segundo, apostando em trabalhos mais ousados ​​onde o público viu um lado mais sensual ao protagonizar histórias como El Juego de Las Llaves.

Um ano depois, chegou Oscuro Deseo, uma série da Netflix em que ela tinha cenas picantes e em uma trama que também estava longe das comédias cor de rosa que ela protagonizou na Televisa.

Eu não sou uma pessoa que tem medo de arriscar, isso me deixa nervosa, como a modéstia. Fui tomando rumos diferentes que implicavam desafios na atuação, de me ver capaz ou não de poder. Não tenho medo, ao longo da minha vida fui muito decidida e tomei decisões que me tiraram do lugar. Isso não significa que não eu não tenha inseguranças e que duvide”, diz em entrevista ao EL UNIVERSAL.

A coragem que afirma ter levou a atriz de 38 anos a lançar-se na formação de um grupo musical, ainda sem saber o que isso implicava ou a que levaria, mas confessa que, se soubesse, poderia não ter tomado.

Sou uma pessoa muito intensa e determinada, sou atirada. Imagine que coragem maior do que aos 20 anos subir no palco sem saber cantar. Eu nunca cantei no chuveiro. Inconsciente, eles chamam isso. Não tenho medo, mas quando faço, vejo como faço e é assim que sempre fiz na minha carreira”, diz.

Em Oscuro Deseo, cuja segunda temporada estreia em 2 de Fevereiro pela Netflix, Maite dá vida a Alma Solares, uma mulher de sucesso, advogada e professora universitária de prestígio. Esta se prepara para acompanhar sua melhor amiga em uma viagem de fim de semana, para que sua amiga supere seu recente divórcio.

Na viagem, Alma conhece um jovem (Alejandro Speitzer) que a fará escapar de uma aventura selvagem e reviver coisas que não vivenciava há muito tempo e despertar em seus sentimentos que pensava estarem ocultos.

Essa série, diz ela, significa um ponto de virada em sua carreira, já que é uma história em que as cenas quentes são o prato principal de cada capítulo.

Oscuro Deseo determina uma nova etapa para mim, isso me permitiu crescer e me mover de um lugar para outro, e é uma busca pessoal que me levou a isso. Sinto-me feliz por ter ousado fazer essas mudanças que me favoreceram”.

Mesmo com essas novas tramas, Maite diz que não descarta voltar ao melodrama tradicional.

São formas diferentes de contar uma história, como atores devemos saber contar formatos diferentes.”

Créditos: Site MaiPerroni & El Universal

100