Maite Perroni fala sobre Oscuro Deseo 2: manipulação, violência e o fim de Alma

Maite Perroni vive um dos melhores momentos de sua carreira. No ano passado, a atriz estreou Oscuro Deseo na Netflix, o que aumentou seus seguidores internacionais (que já eram bastante grandes). O impacto que a série teve (acumulando 35 milhões de visualizações em 28 dias ao redor do mundo) e a difusão que a atriz teve foi tal que ela já assinou um contrato de vários anos com o serviço de streaming Pantaya, além de preparar um novo filme.

No entanto, antes de se encaminhar para esse futuro, Maite Perroni regressa na segunda temporada de Oscuro Deseo, que – ela confirma – chegará ao fim nestes episódios, encerrando a história de Alma Solares e do diabo de Darío Guerra. O thriller erótico teve um final convincente na primeira temporada, mas o sucesso exigiu novos episódios, e a obra não decepciona avançando alguns anos, explorando seus personagens, mas mantendo o espírito que atraiu o público da primeira vez.

Esses novos episódios chegam à Netflix no dia 2 de fevereiro e pudemos conversar com Maite Perroni sobre esse retorno e sobre a complexidade de Alma Solares, que representa uma história de violência e manipulação. Isto é o que ela compartilhou conosco.

Qual foi a coisa mais difícil em retratar Alma na série? O que não se encaixa na sua personalidade?

“Algo que foi interessante, quando li os episódios da segunda temporada, é que isso me causou muito conflito no começo. Eu disse: ‘Não pode ser que Alma continue nessa dinâmica, que Darío apareça em sua vida e que tudo seja um caos novamente. Não pode ser, se Alma é uma mulher inteligente, autossuficiente, trabalhadora, professora, advogada, que fala sobre os direitos da mulher, sua individualidade, seu valor, e não pensa isso de si mesma. Mas me aproximei de especialistas, terapeutas, psiquiatras, pessoas especializadas em violência, e em todas essas conversas, no processo de preparação, eles me pegaram pela mão para entender como isso acontece. Como às vezes nos vemos violados e expostos em nossos pontos cegos. E neste caso, quando você se expõe a um vínculo com uma pessoa manipuladora, conhecida como narciso-perversa, ou que está tomando as coisas conforme sua conveniência e não é uma pessoa estável. Você pode cair nessa dinâmica e é possível porque essa pessoa autossuficiente, trabalhadora, preparada é um desafio para pessoas tão inteligentes e com uma capacidade de manipulação tão grande, porque se torna um desafio maior de conquistar.”

“Eu entendi a partir desse processo de conhecimento com especialistas que me acompanharam para entender a psicologia dessa mulher neste momento de sua vida. E por isso foi um processo interessante e conciliador entendê-la e vê-la de um lugar diferente, e ao invés de julgá-la, entender que sim, ela está quebrada e violada. E que há muitas mulheres que infelizmente vivem isso, e se tornou um compromisso e responsabilidade maior para mim porque foi compartilhar com outras mulheres que vivem em uma situação como essa até onde isso pode ir e que você tem que parar, e cura o coração e a alma”.

Certamente muitos vão perguntar se haverá uma 3ª temporada: O que você diz sobre isso?

“Oscuro Deseo fecha seu ciclo com esta temporada. É o final definitivo e terminamos de contar a história, então acho que vale a pena assistir. Vamos nos despedir desses personagens e dessa história que nos deu tanto e fechamos o ciclo com esta temporada. Gosto mais desta segunda temporada do que da primeira.”

E já que estamos no final, com qual parceiro você teve suas cenas favoritas da série?

“(Risos) É muito difícil dizer porque conseguimos formar uma equipe muito boa. Desde a primeira temporada nos tornamos uma família. Foi como entender que todos íamos ficar expostos emocionalmente e fisicamente e fizemos uma contenção e uma equipe como uma família, e todos cuidávamos uns dos outros, nos acompanhávamos, nos continhamos, e para mim foi um prazer poder estar no set com meus colegas. Alejandro, Erik, Jorge, Regina, Maria Fernanda na 1ª temporada foram cúmplices inigualáveis. Se não fosse com cada um deles, não teria sido tão feliz viver o processo de realização do projeto”.

“Nesta segunda temporada temos o talento de Arturo Barba que é um ator extraordinário, de Catherine Siachoque que interpretou uma grande personagem, Liz, ela é incrível. E Ariana Saavedra que tem uma personagem que é um pivô na história porque ela determina tudo o que acontecerá na segunda temporada e foi um prazer estar com ela e trabalhar com ela. E foram adicionados elementos que fortaleceram o que foi feito na 1ª temporada. o que é muito difícil de conseguir.”

Créditos: Site MaiPerroni & GQ México

105